segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Ibope: RC precisa tirar votos de Cássio


A pesquisa IBOPE divulgada hoje mostra que o governador Ricardo Coutinho tem um desafio homérico a ser superado até o dia da eleição.

O governador não precisa apenas crescer, incorporando os votos dos indecisos, mas fazer com que Cássio perca votos.

Com 47% das intenções, Cássio teria hoje mais de 55% dos votos válidos. E, ao que parece, Ricardo não terá nessa empreitada a colaboração de Vital do Rego Filho, cujo desempenho sofrível até agora não permite o vislumbre de um crescimento, com o qual RC conta para levar a disputa para o segundo turno.

Mas, como eu disse, apenas isso não basta no caso de Vital Filho, que teria também de crescer roubando votos de Cássio, o que significa retomar parte eleitorado peemedebista que hoje vota no tucano.

Nas duas eleições em que disputou o governo, em 2002 e 2006, Cássio chegou muito próximo de vencer logo no primeiro turno, chegando à casa do 49% dos votos válidos! Hoje, com parte do PMDB apoiando-o, a situação parece de difícil reversão para a campanha de RC.

O governador cresceu na pesquisa, como era previsível, mas não a ponto de ameaçar Cássio, que também cresceu. Ou seja, os dois incorporam com igual peso, considerando a margem de erro de 3%, a definição do eleitorado indeciso, que se distribui por enquanto entre os dois principais candidatos.

Se essa situação persistir, a tendência é Cássio ampliar a votação e consolidar-se na posição de virtual eleito já no primeiro turno.

RC ainda vive o drama da possibilidade de perder o apoio do PT, caso seja derrotado no TSE na disputa com o PMDB pelo apoio do partido de Lula e Dilma. Veja que situação vexatória o PT da Paraíba se envolveu... 

A entrada de Marina em cena, que tem o apoio de RC, não ajudou muito e o que se vê hoje é uma presença mais ostensiva de petistas ligados à campanha de Dilma na Paraíba em apoio a Vital. Nenhum dirigente nacional do PT pediu votos para RC. E não vão pedir.

Essa mudança pode fazer Vital crescer, mas crescerá no eleitorado de Cássio, que nunca escondeu seu apoio a Aécio Neves? 

Por outro lado, uma derrota no TSE produziria um impacto negativo ainda de difícil medição. Mas o fato é que, caso ocorre, ocorrerá em um momento decisivo da campanha. RC reduziria seu guia pela metade e perderia seu candidato a Senado, Lucélio Cartaxo. Um fato dessa natureza, caso aconteça, pode ser a pá-de-cal nas pretensões do governador.

E mesmo mantendo o apoio formal do PT, ainda assim o desafio será muito grande, porque o voto cristalizado de Cássio é muito expressivo hoje. 

O recomendável é esperar um pouco mais. Uma diferença de 14 pontos pode tranquilamente ser retirada em um mês de campanha. A questão a ser respondida é se o eleitor de Cássio estará aberto a mudar de voto. É essa a questão chave.  

Nenhum comentário: