sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Paraíba: segundo turno à vista

Eram duas as dúvidas mais importantes que eu tinha no início dessa campanha na Paraíba, expostas especialmente em várias participações que fiz em programas de rádio:

1)    se Cássio conseguiria superar a faixa dos 50%, que limitou seu crescimento nas duas disputas que disputou, em 2002 e 2006, levando-o a vitória por margens mínimas – fato que nunca o tornou imbatível;

2)    se RC conseguiria incorporar essa banda do eleitorado que vota no PMDB, pelo menos, desde 2002, e viabilizar-se na disputa.

A duas semanas da eleição, tudo indica que a velha divisão no eleitorado que marcou a Paraíba nas três últimas eleições está prestes a se repetir.

A mais de dois meses estacionado entre os 44%-47%, Cássio não conseguiu abrir uma vantagem que lhe desse a segurança de que não seria alcançado até o dia da eleição e venceria no primeiro turno.

Por outro lado, a julgar pelos resultados das últimas pesquisas, quando o eleitorado começa realmente a se definir, que mostram crescimento consistente da candidatura de Ricardo Coutinho e apontam para uma irredutível queda da diferença entre os dois principais candidatos e a realização do segundo turno.

A fortalecer essa possibilidade existe a candidatura de Vital do Rego Filho, do PMDB, atualmente ostentando números próximos dos 5%, o que significa algo próximo dos 8% dos votos válidos.

Ora, se nas últimas eleições os candidatos do PSOL, com uma votação de 0,66% e 1,21% (veja quadro abaixo), levaram a eleição para o segundo turno, agora em 2014, com Vilta do Rego com possibilidade de pontuar 8% dos votos válidos, é quase certa a realização do segundo turno, a ser mantido o crescimento de RC e as perdas de Cássio, que o empurram para o patamar de votação histórico de 47%-49% de votos válidos no primeiro turno.

2010
RC
49,74%
Maranhão
49,3%
Nelson Junior 0,66%
2006
Cássio 
49,67%
Maranhão
48,74%
Davi Lobão 
1,21%
2002
Cassio 
47,2%
Roberto Paulino 39,98%
Avenzoar 
12,57%

Enfim, o que não faltará é emoção nessas eleições da Paraíba. E, mesmo com o segundo turno, os ricardistas vão ter de ralar muito para ganhar a eleição, especialmente se tivermos Dilma e Marina no segundo turno da disputa presidencial.

Depois eu volto para analisar a disputa para o Senado e os cenários para o segundo turno paraibano.

Nenhum comentário: