sábado, 14 de abril de 2012

Pesquisa Consult: Maranhão avança, mesmo em meio à dúvida sobre sua candidatura; Estelizabel cresce

TSE definirá se esse confronto pode mesmo se efetivar

A eleição para prefeito de João Pessoa guarda algumas semelhanças com a eleição de Campina Grande. A primeira delas, é que os candidatos de oposição nas duas cidades são políticos conhecidos e com experiência em embates eleitorais; a segunda delas é que, pelo lado da situação, figuram duas mulheres, ex-secretárias, consideradas “técnicas”, mas que não foram ainda testadas nas urnas.

Outra semelhança foi revelada com a divulgação da pesquisa Consult neste sábado. Como em Campina Grande, os dois principais candidatos de oposição partem na frente, e com números muito aproximados. Em João Pessoa, José Maranhão (PMDB) lidera com um percentual de 27,6%, exatamente o mesmo percentual que obteve Daniela Ribeiro (PP), em Campina Grande (27,7).

O segundo colocado em João Pessoa, Cicero Lucena (PSDB), com 20,4%, senão representa o mesmo resultado obtido por Romero Rodrigues (também do PSDB), 24,9%, está dentro da margem de erro, que é de 3%, ou seja, um “empate técnico”.
Situação semelhante vivem as candidatas da situação. 

Na pesquisa divulgada hoje, Estelizabel Bezerra obtém 7,7%, o que representa um outro “empate técnico” se compararmos com o desempenho de Tatiana Medeiros, do PMDB: 11,7%.

Avaliação da Pesquisa de João Pessoa

A única diferença do quadro eleitoral campinense em relação ao de João Pessoa diz respeito ao candidato do PT, Luciano Cartaxo, que conseguiu chegar aos 10,4%, um resultado que representa crescimento fora da margem de erro, isso se compararmos com as últimas pesquisas DataVox e Jornal da Paraíba , quando o candidato petista obteve 3%.

O crescimento de Cartaxo era previsível por conta da superexposição do candidato após a vitória obtida na eleição petista que ratificou sua candidatura, mas ficou bem abaixo das expectativas que algumas lideranças ligadas ao deputado petista tinham. O problema para Cartaxo é: mantido esse patamar, a direção nacional do PT pode retirar-lhe o apoio e jogar a legenda nos braços do PSB. Vamos esperar como o quadro evolui até julho.

Como não há parâmetro de pesquisas anteriores para comparar com o desempenho de Estelizabel Bezerra, pode-se considerar que ela obteve um resultado expressivo. Ainda amplamente desconhecida do eleitorado pessoense, Estela ainda encontra dificuldades de ter se afastado de suas funções de Secretária de Planejamento da PMJP muito cedo, o que representou uma dificuldade a mais na sua exposição pública.

Por outro lado, as dúvidas constantemente lançadas a respeito de se ela seria ou não a candidata, o que, ao que parece, só foi definitivamente resolvido na semana passada, deve ter tido alguma influência sobre o desempenho de Bezerra. Mesmo assim, a candidata do PSB já está empatada tecnicamente com Luciano Cartaxo.

E ainda tem potencial para crescer mais. Um fato a ser salientado é que, representando uma administração que, assim como a do prefeito Veneziano Vital, é bem avaliada pelo eleitorado, ainda existe um grande espaço a ser ocupado pela candidata do PSB.

Além disso, não desconsideremos o apoio das duas poderosas máquinas que estarão unidas para impulsionar a candidata de RC em João Pessoa. Além disso, apesar do desgaste, o governador ainda conta com algum prestígio em meio ao eleitorado.

Cícero Lucena manteve a mesma posição onde se encontrava nas pesquisas anteriores: rondando os 20 pontos percentuais. Talvez isso se deva à ausência do senador tucano do noticiário nas últimas semanas, o que é um comportamento estranho para um candidato com pretensões de vitória.

A questão é saber se Lucena será capaz de transpor esse patamar de maneira a assegurar sua presença no segundo turno. Caso contrário, o senador pode começar a avaliar suas chances de vitória e, portanto, suas estratégias eleitorais. José Maranhão vai esperar ansioso por essa decisão.

A maior surpresa aparece lá na frente, com a expressiva liderança de José Maranhão. Pela primeira vez, Maranhão consegue não apenas ultrapassar Cícero Lucena como obter uma vantagem superior a 7 pontos percentuais, o que é uma vantagem fora da margem de erro e, portanto, não há como colocar em dúvida a liderança maranhista. Nas pesquisas anteriores onde Cícero Lucena aparecia sempre à frente de Maranhão, a diferença se manteve dentro da margem de erro.

E bom não esquecer que a pesquisa foi realizada apenas um pouco depois da decisão do TRE que não aprovou as contas de campanha do ex-governador, o que, em tese, o torna inelegível. 

E, o que poderia representar um balde de água fria nas expectativas de vitória de Maranhão, pode ter sido interpretado pelo eleitorado oposicionista como um ato de perseguição a um candidato com um viés claramente anti-ricardista, algo muito semelhante ao que aconteceu a
Cássio Cunha Lima depois de sua cassação pelo mesmo TRE.

O resultado dessa pesquisa, sem dúvida, representa uma pressão a mais sobre o TRE e TSE, que podem apreciar um recurso do PMDB para viabilizar a candidatura de José Maranhão. Caso possa ser candidato e consolidada a posição de liderança atual, Maranhão cria as condições para ir com peso para o segundo turno.

Nenhum comentário: