quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Uma homenagem a Jayme de Almeida e a todos os técnicos negros (e interinos) do país

Jayme de Almeida, o técnico que revolucionou o futebol do mengão e fez dele um campeão
A vitória de ontem do Flamengo tem vários responsáveis, mas o principal deles ficou sentado no banco de reservas: o técnico Jayme de Almeida.

A conquista da Copa do Brasil mostrou que o Flamengo não precisa de "medalhões", que passaram aos montes pela Gávea, para dirigir os destinos de um time que é o coração e o grito de metade de uma nação inteira.

O Flamengo precisa de técnicos que, além de competência, saibam transformar paixão em futebol, raça em vitória.

Vejam quem foram os técnicos responsáveis pelas maiores conquistas do Flamengo nos últimos 25 anos: Carlinhos, campeão brasileiro de 1987 e 1992, Andrade, campeão brasileiro de 2009, e Jayme de Almeida, campeão da Copa do Brasil de 2013.

O que eles tem em comum? Todos vestiram o manto sagrado como jogadores, depois trabalharam nas divisões de base e assumiram interinamente os destinos do time para depois serem campeões.

Desprezados pelos dirigentes, foram eles que souberam transformar o Flamengo em campo e fazê-lo campeão.

Carlinhos e Andrade: de interinos à campeões
Tem também um toque de racismo nesse desprezo. Vejam o caso de Andrade.

Andrade atuou como interino por 9 (nove) vezes, e nessa condição assumiu o Flamengo no  Brasileirão de 2009 para, depois de 17 anos sem um título brasileiro, se tornar o primeiro técnico negro a ser campeão  brasileiro.

Isso mesmo. Num país onde a maioria dos jogadores é negra, não é surpreendente que tão poucos negros consigam seguir carreira como treinador? Não quando se trata do Brasil.

E os poucos negros que resistem, assumem sempre na condição de interino, de reservas que sentam no banco para enquanto esperam os treinadores brancos não chegarão.

Vejam o grande técnico Cristóvão Borges, hoje no Bahia. Cristóvão levou o Vasco ao vice-campeonato brasileiro em 2011, e à Libertadores, no ano seguinte, e não foi campeão por conta daquele gol incrível que Diego Souza perdeu contra o Corinthians!

Qual foi o grande clube que apostou em Borges depois de sua demissão no Vasco?

Quanto a Jayme de Almeida, vamos ver o que acontece com ele. De interino à técnico campeão, forma com Cristóvão Borges os técnicos negros no Brasileirão.

Ex-jogador do mengão, técnico das divisões de base como Andrade e Carlinhos, Jayme promoveu uma revolução no futebol do Flamengo esse ano, e ofereceu uma aula ao "medalhão" Mano Menezes, ex-técnico da Seleção Brasileira.

Foi bonito ver como o Flamengo foi capaz de atropelar, um a um, seus adversários na Copa do Brasil - todos eles figuram hoje entre os cinco melhores times do Brasileirão (Botafogo, Goiás e Atlético Paranaense.

Jayme deu consistência à defesa do Flamengo e, principalmente, não fez do time de maior torcida do país um time covarde.

Quem assistiu aos últimos jogos do mengão viu isso, um time que não entrou em momento algum para empatar ou preservar resultados.

O Atlético simplesmente não jogou nos dois jogos da final, principalmente no de ontem - qual foi mesmo a oportunidade de gol que o provável vice-campeão brasileiro criou, principalmente no último jogo?

Enquanto isso, o Flamengo quase promove um massacre, uma goleada, seja em contra-ataques mortais, quando vários jogadores apareciam em condições de marcar, seja em jogadas criadas com rapidez e competência.

Jayme Almeida fez de um time considerado medíocre um time difícil de ser batido. Fez de Hernane "brocador" um artilheiro de brilho, de Amaral um dos grandes volantes em atuação hoje no Brasil, fez renascer e potencializar o futebol de Luiz Antônio, fez de Paulinho uma arma mortal, fez o time jogar ofensivamente pelas laterais e uma zaga protetora e eficiente.

Mas, Jayme de Almeida fez o mais importante: tornou o Brasil um país mais feliz.


Obrigado, Jayme de Almeida!


Nenhum comentário: