sábado, 22 de maio de 2010

Datafoha ajusta seus números à realidade: Dilma empata com José Serra

A pesquisa Datafolha divulgada hoje mostra um empate entre Dilma Rousseff e José Serra - pronto, as viúvas de FHC não tem mais o que dizer para contestar os resultados de outros institutos que há mais de um mês mostravam essa realidade! No Datafolha, Rousseff subiu 7 pontos e José Serra caiu 5. Ambos tem agora 37%. O programa do PT foi mesmo devastador! Para sorte da Folha, ele antecede a realização da pesquisa e "justifica" a mudança no quadro eleitoral.

A grande questão que se apresentava entre os analistas de pesquisas mais independentes era quando Datafolha e Ibope finalmente "ajustariam" seus números à realidade observada nas ruas e no sentimento dos eleitores. Alguns falavam que apenas quando a eleição se aproximasse, esses institutos, como sempre fizeram, iriam expressando em suas pesquisas o que de fato pensava o eleitor.

Não que consideremos apenas corretas as pesquisas que favorecem a candidata do presidente Lula. A questão não é essa e nunca foi. Analisar pesquisas há mais de 4 meses da eleição é mera conjectura. Mas, no caso da atual disputa, é necessário considerar fatos que influenciarão inevitalmente o proceso.

Primeiro, a avaliação de um governo que é aprovado por mais ou menos 80% dos brasileiros; segundo, o ambiente econômico favorável que não apenas tende a ser mantido mas ampliado até o fim do ano; e, por fim, as alianças políticas nacionais e regionais em torno da candidata governista que darão a ela um imenso suporte político e eleitoral. Esses dados tornam, inquestionavelmente, Dilma Rousseff favorita na eleição.

O grande oponente da candidata do PT não vem a ser nem mesmo o principal candidato da oposição, José Serra, um candidato sem discurso e, o que fica cada vez mais claro a cada entrevista que ele concede, sem o "preparo" que foi tão propalado sobre ele. O grande oponente de Dilma Rousseff é, na realidade, a grande imprensa, engajada até a alma no projeto eleitoral tucano. É ela que ainda sustenta os números de José Serra. Sem ela, provavelmente José Serra nem candidato seria.

E é esse fato que coloca sob suspeitas as pesquisas eleitorais, tanto do Ibope quanto do Datafolha. Sendo seus patrocinadores essa grande imprensa engajada, como conferir credibilidade aos resultados de suas pesquisas?

Por isso, a pesquisa do Datafolha é um mero ajuste à situaçao eleitoral. Cotinuar brigando com a realidade tornaria essa imprensa menos confiável do que ela já é. Entretanto, a pesquisa do Datafolha divulgada hoje ainda representa um esforço para manter a expectativa de vitória de Serra, sugerindo um empate (Vox Populi e Sensus observaram a esperada virada de Dilma durante essa semana).

O "ajuste" pode indicar o início de uma nova fase na disputa eleitoral com o recrudescimento do embate, o que ensejará um engajamento ainda maior da grande imprensa. E então virão os dossiês. Entrará em cena a política do tudo-ou-nada, provavelmente depois da copa. Em juho, os subterrâneos da política brasileira ficarão animados pelas sombras tucanas da mentira e das armações que essa mídia fará subir à superfície quando a copa passar.

15 comentários:

heliojampa disse...

Isso já era esperado, o DataSerra deu uma de João sem braço, a espera do improvável. Vai que a Dilma caisse realmente? Ai ele surgeria com pesquisa consolidando a fraude feitas dias antes.
É Dilma lá, Vânia do IFPB cá!

Gilson disse...

Efeito televisão foi maior do que se pensava:

A nova pesquisa Datafolha (empate numérico) reflete um momento da pré-campanha em que somente um lado teve acesso a propaganda em rádio e televisão, e o usou em desacordo com a lei eleitoral, fazendo propaganda eleitoral antecipada, em vez de simplesmente divulgar as idéias e o programa do partido, como deveria ter feito, de acordo com a lei.

Na pesquisa Datafolha anterior, 14% do eleitorado não sabiam que Dilma Rousseff era a candidata de Lula. Hoje, depois de toda a massificação televisiva da semana passada, esse número deve estar se aproximando de zero (a Folha ainda não divulgou esse dado). Dilma Rousseff talvez esteja próxima do teto da transferência.

O programa de televisão de Serra, assim como as inserções de trinta segundos, não deverão ter efeito tão grande quanto as aparições de Dilma Rousseff, porque acontecerão durante a Copa do Mundo, quando as atenções estarão voltadas para o futebol e para a seleção brasileira. Na campanha de rádio e televisão do primeiro turno, Serra terá bem menos tempo do que Dilma Rousseff. Só haverá condições iguais no segundo turno.

Decisivos poderão ser, e deverão ser, os debates, sobretudo os debates mano-a-mano do segundo turno. Nos debates, Dilma Rousseff estará por conta própria, sem a presença paternal de Lula a "apresentá-la", como nos programas de TV e rádio e nos comícios. E seu potencial de dizer bobagens e disparates já mostrou ser muito grande, mesmo sem confrontação.

Enfim, a equipe de Serra tem motivos para preocupar-se, mas não para descabelar-se. E eu continuo apostando no candidato tucano. Para apostas, meu endereço eletrônico é gmg.sacocheio@gmail.com.

Christiano Almeida disse...

A matéria merece elogios pela análise crítica sobre o momento político em que se insere. Parabens ao articulista pela qualidade de seu texto.
Por outro lado, recomendo ao Gilson que faça uma pequena leitura a respeito do "... o jacaré fechou a boca...". É sobre a pesquisa das pesquisas. Dificilmente falham. Dê uma lidinha, tenho certeza que após a leitura fecharás o bunker de apostas.

João Paulo disse...

Pobre do Gilson! Tenho pena dele! O "estudo" que ele diz ter não está fazendo "efeito"! kkkkkkk Continua comentando Gilson, pois com tuas palavras me acabo de rir kkkkkk

João Paulo disse...

Se foi só por causa da TV então Serra tá lascado, e quando começar o horário político com Lula todos os dias ao lado de Dilma? Bye bye Serra! kkkkkkkkk

Gilson disse...

Se estão tão confiantes, apostem! Desafio Christiano Almeida e João Paulo a apostar. Como não tenho nada a esconder, eis o meu e-mail: gmg.sacocheio@gmail.com. Estou aguardando um contato.

Gilson disse...

A advertência do presidente do TSE e o dilema de Serra:

Em entrevista ao Blog do Josias, da Folha de S. Paulo, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) -- o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello -- mandou um duro aviso aos navegantes: quem tiver sido ou vier a ser multado por propaganda eleitoral antecipada (ilegal) ou tiver sido ou vier a ser beneficiado por alguém que recebeu multa por esse motivo poderá ter sua candidatura cassada ou seu mandato cassado. Dilma Rousseff já foi multada duas vezes, seu padrinho político Lula já foi multado quatro vezes e o PT já foi multado uma vez. O partido e sua pré-candidata deverão ser multados novamente pelo uso eleitoral do último programa partidário. As multas têm sido irrisórias: cinco mil, dez mil, 25 mil. Como disse um internauta, parodiando Fernado Pessoa, tudo vale a pena quando a multa é pequena.

Acontece que o presidente do TSE advertiu: "Não se deixem enganar pelo pequeno valor das multas. Propaganda antecipada pode resultar em cassação do registro ou do mandato. Eu não correria o risco". Ter burlado a legislação eleitoral rendeu a Dilma Rousseff crescimento de sete pontos na mais recente pesquisa Datafolha. É aqui que chegamos ao dilema de Serra.

A trinca de partidos serristas -- o DEM, o PPS e o PSDB -- terá nada menos que três programas partidários entre o fim de maio e o final de junho, cada programa precedido de inserções de trinta segundos, muitas delas em horário nobre. Serra e os partidos que o apoiam estão virgens de multas até agora. Devem manter-se assim, evitando o risco para o qual alerta Marco Aurélio Mello? Ou devem fazer o que o PT fez, para que Serra volte a subir nas pesquisas? As oportunidades são boas demais para serem desperdiçadas. Por outro lado, se o ministro Mello está falando sério e não apenas bravateando, Serra correrá o risco de ter sua candidatura ou seu mandato cassados, igualando-se a Dilma Rousseff no viver perigosamente.

No lugar de Serra, o que você faria?

Gilson disse...

João Paulo: o horário eleitoral é diferente porque os dois lados aparecem, não um lado só, como na propaganda partidária.

Christiano Almeida disse...

"A advertência do presidente do TSE e o dilema de Serra:..." Caro Gilson. A frase, ou melhor, o título do teu comentário me remete a duas flexões, Primeira: Quem antevê que o "tapetão" poderá ser acionado a fim de garantir o pleito que neste momento me é promissor golfa uma dúvida embutida no subconsciente: é iminente a derrota ou o "tsunami Lula/Dilma/PT" é avassalador e não estou sentindo firmeza no meu candidato após a divulgação de mais uma pesquisa?. Segunda: As premissas apresentadas para justificarem uma possível vitória não coadunam com fatos, mas, sim, tão sómente, com suposições do agora. Se Serra, se o O PSDB, o DEM e o PPS aquilo. Por fim, aconselho-te, procures "ler" o pessoal do IUPERJ. Fará um bem danado a ti. Relembrando: Pesquisa das pesquisas.

Gilson disse...

Bem, Christiano, vamos apostar?
Repito: meu e-mail é gmg.sacocheio@gmail.com. Se eu estou errado e você está certo, não há risco nenhum para você. Vai deixar de ganhar esse dinheirinho fácil?

Bolinha disse...

Gilson, como seria essa aposta? Como você deve ser rico (por isso vota em Serra), eu não sei se teria dinheiro suficiente para apostar com você. Pobre aposta grade de cerveja. Topas?

Tô doido para que alguém banque as comemorações pela vitória de Dilma e Lula. E já que você tá se oferecendo...

Gilson disse...

Se fosse rico eu votaria em Dilma Rousseff. Afinal, os banqueiros e seus maiores clientes nunca ganharam tanto dinheiro quanto no governo Lula.
Se você quiser realmente apostar, entre em contato comigo pelo e-mail gmg.sacocheio@gmail.com.

João Paulo disse...

Gilson meu fi, tu tá nessa também homi. Serra foi ministro de FHC por duas vezes (Planejamento e Saúde), disputou a eleição presidencial contra LULA e perdeu, tem uma imprensa paulista que lhe apoia e repercute pelo Brasil, e tu ainda vem falar de horário político homi. kkkkk Eu aposto no povo brasileiro que quer continuidade das ações do Governo Lula com DILMA. Bye bye Serra!

Gilson disse...

Bye bye, João Paulo!

João Paulo disse...

kkkkkk Bye bye Gilson!