sábado, 30 de outubro de 2010

PORQUE VOTAR DILMA. PORQUE VOTAR JOSÉ MARANHÃO

Amanhã, quando os brasileiros de todas as origens sociais e regiões do país saírem de suas casas para votar não estarão apenas escolhendo uma nova presidente para o Brasil.

Estarão escolhendo o destino de um país. Estarão votando pela continuidade ou não do projeto de nação iniciado pelo Presidente Luís Inácio Lula da Silva.

Votarão se querem que a política externa do Brasil continue reafirmando a sua soberania e independência ou se querem que o Brasil volte a ajoelhar-se diante do Império Americano,

Votarão se querem ver continuar a ampliação da participação dos salários na renda nacional ou se querem a volta o arrocho. Se querem que o Brasil continue distribuir a renda nacional ou se desejam que o país e sua riqueza seja construída apenas para os ricos.

Amanhã, todos nós iremos votar se queremos ver continuar a expansão do ensino universitário que, nos últimos anos, dobrou o número de vagas nas universidades, ou se voltaremos a ter redução de investimentos, sucateamento e greves. E se continuarão as criações de Escolas Técnicas, que se espalham hoje por todo o país.

Amanhã, decidiremos se os estudantes pobres continuarão a ter acesso ao ensino universitário, através do Prouni e das cotas sociais no ensino público, ou se eles deixarão de ter oportunidades de ascensão social.

Votaremos se desejamos continuar a ver a redução da miséria e da pobreza extrema no Brasil, até extingui-las, ou se querem vê-las voltar a aumentar.

Amanhã, nós saberemos se essa luta do povo brasileiro, que foi a luta de gerações e gerações, que foi de Vargas, de Prestes, de Jango, de João Amazonas, de Celso Furtado, de Florestan Fernandes, de Darcy Ribeiro, de Maria da Conceição Tavares, de Lula e de tantos outros, conhecidos e anônimos lutadores, muitos dos quais mortos, que ousaram lutar para conquistar essa utopia de tornar o Brasil um país mais justo e mais soberano.

No Domingo, sairemos de casa e votaremos se desejamos que a Petrobrás explore a gigantesca jazida de petróleo que existe no Pré-Sal em benefício dos brasileiros ou das multinacionais do petróleo.

Amanhã, o Brasil vai optar por um Brasil para muitos ou por um Brasil para poucos.

O Brasil da liberdade, O Brasil da igualdade, do respeito aos direitos humanos, das minorias.

O Brasil da tolerância religiosa, do Estado laico, o Brasil que ama seu país e quer vê-lo grande, sujeito ativo no concerto das grandes nações.

O Brasil que cresce com seu povo, o Brasil da autonomia, que valoriza seus professores e cientistas, suas universidades.

Ou se vai optar pelo Brasil das elites, do preconceito social, da intolerância, do fascismo social, do conservadorismo, da arrogância, do servilismo que, como disse Chico Buarque, fala grosso com a Bolívia e fino com o Império Americano.

O povo brasileiro saberá amanhã votar não apenas em Dilma, mas em seu favor, em benefício do seu futuro e das futuras gerações de brasileiros que nascerão num Brasil melhor, muito melhor. Esse voto que daremos amanhã será por todos aqueles que, no passado e no presente, souberam cultivar a esperança e nunca se deixaram levar nem pelo oportunismo nem pelo medo.

Amanhã, quando olharmos para o calendário e vermos que é dia 31, então saberemos: é dia de votar 13, é dia de votar DILMA.

Nenhum comentário: