sábado, 30 de outubro de 2010

PORQUE VOTAR JOSÉ MARANHÃO

Amanhã, a Paraíba terá duas escolhas a fazer. Paraibanos de todas as cidades, de João Pessoa, de Campina Grande, de Patos e de todo o Sertão, de todas as cidades do Brejo, do Curimataú e do Cariri terão a oportunidade de escolher se a Paraíba ressuscita o passado ou se aposta definitivamente no futuro.

Amanhã, os paraibanos vão escolher se apostam no "novo" pelo novo, ou se acreditam e confiam na consistência de uma trajetória.

Amanhã, a Paraíba olhará para si e escolherá se respalda quem se alia com antigos inimigos e o vale-tudo na política para chegar ao poder ou se acredita na lealdade e no respeito aos aliados e nas idéias e projetos que os unem.

Quando sairmos de casa para votar amanhã escolheremos entre aquele que fecha hospitais e não valoriza os PSFs, ou se votaremos em quem constrói hospitais por todos o estado, equipando-os e tornando a saúde um serviço acessível a todos.

Votaremos em quem pensa pequeno, no curto prazo, ou em quem tem visão de futuro. Em quem foi contra a Transposição do Rio São Francisco, ou em quem a apoiou.

Em quem critica a construção de adutoras ou em quem tem um plano de integração dos mananciais da Paraíba, criando segurança hídrica para o seu povo e criando condições para o desenvolvimento econômico do estado.

Amanhã, resolveremos se vamos olhar apenas para o nosso quintal, desconhecendo a grande aliança nacional em apoio ao projeto que os partidos que sustentam Lula e Dilma constroem no Brasil ou se apostamos no atraso, no conservadorismo, nas alianças espúrias com os inimigos do povo e da soberania nacional.

Amanhã, na urna, quando apertamos o 13, saberemos que, em seguida, temos também que apertar o 15. Por Lula, por Dilma, pela Paraíba.

2 comentários:

Ronilson Paz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ronilson Paz disse...

Corrigindo... Neste domingo, dia 31 de outubro de 2010, a Paraíba deve votar naqueles comprometidos com o seu desenvolvimento. A Paraíba tem que seguir o rumo do progresso e isto só poderá ser garantido votando-se em José Maranhão 15, Governador, e Dilma 13, Presidente.